Média móvel de mortes por Covid tem redução de 54% no AM e FVS pede para população manter cuidados

A redução desses indicadores é fundamental para que novas medidas de flexibilização das atividades econômicas possam ser adotadas. Todas as decisões são tomadas pelo Comitê de Estadual de Enfrentamento da Covid-19, com base em dados da vigilância epidemiológica de da rede de assistência à saúde.

As restrições para circulação de pessoas no Estado e a ampliação na rede de assistência adotadas pelo Governo do Amazonas para conter o aumento de casos da Covid-19, com a colaboração dos setores como o comércio, serviços, indústria e da população em geral, têm sido fundamentais para salvar vidas. Nos últimos 14 dias, a média móvel de mortes pela doença caiu 54%. Já a média móvel de casos confirmados diminuiu 18%.

Os dados são da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) apresentados nesta sexta-feira (5). O cálculo para chegar à média móvel avalia a variação percentual em intervalos de 14 dias. No entanto, o Amazonas ainda segue na fase vermelha de alerta para a pandemia e o cenário nacional é bastante preocupante, com risco eminente de colapso na rede de saúde do Brasil.

Média móvel

Na fase vermelha ainda, o Estado continua com taxa relativamente alta de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no interior a fase é laranja. As recomendações de isolamento social, distanciamento, restrição de circulação de pessoas e cuidados de higiene, incluindo o uso de máscara e de álcool gel, devem ser mantidas segundo os especialistas da FVS. As medidas de restrição são para evitar agravamento de casos e mais óbitos.

O Amazonas diminuiu a taxa de transmissão do coronavírus para 0,91. Esta é a menor taxa registrada neste ano, conforme foi anunciado pelo governador Wilson Lima durante live. A taxa este ano chegou a 1,3. Esse novo numero põe o Estado em 25° no ranking nacional. A cada 100 infectados poderá transmitir para outras 91 pessoas. Porém, isso não diminui a importância das medidas de isolamento.

A redução desses indicadores é fundamental para que novas medidas de flexibilização das atividades econômicas possam ser adotadas. Todas as decisões são tomadas pelo Comitê de Estadual de Enfrentamento da Covid-19, com base em dados da vigilância epidemiológica de da rede de assistência à saúde.